Sábado, 02 de março de 2024

Sábado, 02 de março de 2024

Show de Gusttavo Lima vira alvo do Procon por venda casada e organização toma atitude drástica

A organização de um evento do cantor sertanejo Gusttavo Lima precisou agir após ser envolvida em um escândalo de venda casada. Gusttavo Lima tem visto seu nome ser envolvido em várias polêmicas nas últimas semanas. Desde a queda drástica de sua agenda de shows, acusações de que teria esnobado fãs até o cancelamento de uma apresentação em um estádio de futebol, o marido de Andressa Suita novamente viu seu nome ser alvo de polêmicas e boatos nos últimos dias sob novas acusações de venda casada.

Como já exploramos aqui no Movimento Country, Gusttavo Lima está com a sua pior agenda de shows desde 2016. O cantor sertanejo vem sofrendo com investigações da chamada CPI do Sertanejo e chegou a ter diversos shows suspensos, bem como processos por ex-funcionários que desgastaram sua imagem perante o público e os contratantes, que estão fugindo de polêmicas.

Falando em polêmicas, dessa vez o nome do ‘Embaixador’ foi o centro de mais uma delas. Segundo o portal AF Notícias, o Procon do Tocantins notificou a empresa Diversões Entretenimentos, que estava organizando o evento ‘Embaixador Elétrico‘ na cidade de Palmas, sob acusações de venda casada.

As acusações se deram pelo fato da empresa proibir a entrada de bebidas e comidas no evento, o que é proibido por lei e está escrito no artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor. A lei afirma que “é proibido ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas, condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos.”

Segundo denúncias de consumidores, na retirada dos ingressos eles estavam sendo informados de que não poderiam levar nenhum tipo de bebida ou comida para os shows de Gusttavo Lima, Bell Marques e Thiago Brava que aconteceriam no local.

Rafael Pereira Parente, superintendente do Procon Tocantins, explicou a ação: “Neste caso, o que está sendo vendido é o show e não pode ser condicionada proibição de bebida e comida. Isso é venda casada, prática proibida e abusiva. Notificamos para que não haja restrição de entrada de alimentos ou bebidas durante o evento. Somente devem ser proibidos alimentos ou bebidas que impliquem em risco à saúde e segurança dos consumidores”.

Após a polêmica envolvendo o nome de Gusttavo Lima e as acusações de venda casada, a empresa chegou a um acordo junto do Procon em uma reunião na última semana. Como o show aconteceu na sexta-feira (18), a organização agiu a tempo e decretou que seriam proibidos apenas alimentos e bebidas que oferecessem risco à segurança do público.

Dessa forma, o evento proibiu a entrada de coolers, caixas de isopor ou qualquer recipiente de armazenamento, embalagens rígidas e com tampas, latas, bebidas em qualquer tipo de recipiente e garrafas. “A medida é necessária para evitar a entrada com armas brancas, de fogo, drogas ou qualquer objeto que sirva de ameaça a segurança do evento”, afirmou a organização.

Da mesma forma, foi permitida a entrada com copos térmicos e de plástico, ambos vazios. Alguns alimentos também foram permitidos, como barras de cereais e frutas já cortadas, que deveriam estar em embalagem transparente. Foi proibida a entrada de alimentos que pudessem ser comercializados. Também foi disponibilizado um bebedouro com água potável para o público.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Daniel anuncia turnê em homenagem a sua ex-dupla João Paulo
Rainha do Limeira Rodeo Music se declara a Luan Santana
Deixe seu comentário

No Ar: Night 104