Domingo, 03 de março de 2024

Domingo, 03 de março de 2024

Marília Mendonça foi proibida de fazer documentário na Netflix por causa de contrato milionário

A cantora sertaneja Marilia Mendonça morreu sem realizar um dos seus maiores desejos em vida: Protagonizar um documentário que relataria sua trajetória e o empoderamento feminino na música sertaneja. Marília Mendonça foi proibida de fazer o documentário que contaria sua trajetória por causa de um contrato milionário que estava em vigor com a Globoplay que envolvia o lançamento do projeto “Todos os Cantos”, que aconteceria em todas as capitais do Brasil, mas acabou sendo interrompido em função da tragédia que tirou a vida da cantora sertaneja em novembro passado.

O Movimento Country havia adiantado em exclusividade em maio do ano passado que a Netflix, maior plataforma de streaming do mundo, estaria interessada em contar a história e a trajetória da cantora Marília Mendonça. A série contaria todos os detalhes da carreira que projetou a cantora como um dos maiores nomes da música em todos os tempos, e empoderou as mulheres na música sertaneja e fora dela.

O projeto não foi adiante na ocasião, porque a mãe do pequeno Leo, que completou 2 anos de idade em dezembro, tinha um contrato com a Som Livre e a Globoplay para a continuidade do projeto “Todos os Cantos”, que a sertaneja iria se apresentar nas capitais que ainda faltavam participar do projeto.

De acordo com os levantamentos feitos na época, a Netflix teria oferecido R$23 milhões pelo direito de uso da história da cantora. Na ocasião, a assessoria da sertaneja desmentiu a informação, que foi confirmada na última semana pelo ex empresário da cantora Wander Oliveira, que confirmou que a cantora já tinha assinado o contrato para produzir uma série com 10 episódios.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Gusttavo Lima é denunciado por ex-músicos e acumula processos milionários
Simaria expõe a verdade e toma atitude drástica após fim de casamento
Deixe seu comentário

No Ar: Estação 104