Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

12 anos de “Ai Se eu Te Pego”, de Michel Teló: seria a maior música sertaneja deste século?

Em 2011, o Brasil parava para ouvir aqueles versos que ecoaram em bares, baladas, rádios, festas em família e todo canto que você possa imaginar na voz de Michel Teló. Afinal, quem nunca cantou o refrão chiclete “Nossa, nossa / Assim você me mata /Ai, se eu te pego / Ai, ai se eu te pego”?

Apesar da grandiosidade da música, há uma história bastante interessante por trás dos seus versos, que muita gente sequer imagina. Sendo claros o suficiente, a letra fácil e grudenta foi cantada por muitas vozes antes de parar nas mãos de Teló, que hoje nem precisa mais fazer shows para manter sua fortuna.

Sua origem surgiu lá em 2006, quando um grupo de 5 amigas, identificadas como Aline MedeirosAmanda QueirogaKarine Assis VinagreMarcela Ramalho e Maria Eduarda, fizeram uma viagem para a Disney. Lá, elas criaram os versos “Nossa, nossa, assim você me mata, ai se eu te pego, delícia” em homenagem a um guia turístico do parque de diversões. 

Em 2008, parte desse grupo viajou para Porto Seguro, na Bahia para celebrar a formatura da escola. Lá, conheceram o Axé Moi, uma casa de show que era palco para apresentações artísticas locais. A cantora Sharon Acioly viu as meninas cantarem e dançarem os versos criados na Disney e as convidou para subir ao palco e mostrar a coreografia e a música.

A recepção do público foi positiva, e os versos “Nossa, assim você me mata / Ai, ai se eu te pego” começaram a ser cantados por Sharon para animar os dançarinos na casa de show. A brincadeira no Axé Moi se popularizou, e Acioly resolveu transformar os versos em um refrão de uma música que ela escreveu para homenagear dois dos seus dançarinos. Os versos evoluíram e se tornaram uma composição conhecida como “Assim Você Me Mata“.

Mais tarde, Antônio Dyggs, empresário dono de uma casa de shows em Feira de Santana, ouviu a versão de Sharon Acioly e viu potencial para transformá-la em um estilo forró. Dyggs trabalhou nos versos e a nova canção foi finalizada em 2008, sendo chamada de “Ai Se Eu Te Pego“. 

 

A primeira versão comercial da música “Ai Se eu Te Pego” foi cantada pelo grupo Os Meninos de Seu Zeh, na época empresariado por Dyggs. Posteriormente, o grupo de forró Cangaia de Jegue gravou a canção em 2010, tornando-se um sucesso na Bahia. Garota Safada, banda que tinha Wesley Safadão em seus vocais, regravou a música ainda naquele ano, popularizando-a por todo o Nordeste brasileiro, especialmente durante as tradicionais festas de São João na região. Alexandre Peixe e a  banda Forró Sacode também foram outros que a gravaram.

Michel Teló, cantor paranaense ainda pouco conhecido no cenário nacional naquela época, ouviu a música durante uma Festa de São João em Salvador, interpretada pelo Cangaia de Jegue. Logo após ouvi-la, seu irmão e empresário percebeu o potencial da música para se tornar um sucesso nacional.

A cantora Sharon Acioly, detentora da composição, autorizou Michel Teló a gravar uma versão da canção. O cantor sertanejo então gravou a música e a lançou em julho de 2011. Não demorou para que, na voz carismática de Teló, a canção se tornasse um fenômeno internacional.

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Prêmio Marília Mendonça é adiado para 2024 após polêmicas: saiba a nova data
Maiara anuncia fim de relacionamento com Matheus Gabriel: ‘Caminhos diferentes’
Deixe seu comentário

No Ar: Paradão da 104