Sábado, 22 de junho de 2024

Sábado, 22 de junho de 2024

Gusttavo Lima, de cortador de cana a embaixador do agronegócio: Conheça tudo sobre o astro sertanejo

Em meados de 2002, Nivaldo Batista Lima recebeu R$ 35 para interpretar canções da MPB, ao longo de oito horas, num bar em Patos de Minas, cidade mineira considerada a capital nacional do milho. Foi seu primeiro cachê na vida. Vinte anos depois, rebatizado de Gusttavo (com T duplo desde 2006 para se diferenciar do argentino Gustavo Lima), ele cobra entre R$ 700 mil e R$ 1 milhão para shows com duração mínima de uma hora.

Artista mais tocado nas rádios do Brasil, segundo levantamentos semanais da plataforma Audiency, Gusttavo Lima é dono de um dos maiores cachês no País. O sertanejo de 32 anos corre a nação de Norte a Sul, normalmente a bordo de um jatinho recém-adquirido por R$ 250 milhões. Na última semana, aterrissou numa polêmica depois que os Ministérios Públicos de Roraima, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia iniciaram investigações sobre possíveis irregularidades em contratações milionárias para shows bancadas por prefeituras de cidades pequenas desses estados.

Da lavoura ao Remelexo

Nivaldo Batista Lima nasceu em Presidente Olegário, município de 20 mil habitantes no interior de Minas. Na juventude, trabalhou na lavoura como apanhador de tomate e café e cortador de cana. Sonhava mudar de vida cantando e tocando viola. Por cinco anos, formou com os irmãos William e Marcelo o trio Remelexo, apresentando-se em bares e showmícios, quando estes comícios políticos embalados por performances artísticas eram permitidos por lei.

A realidade começou a mudar em 2009, quando Gusttavo partiu para Goiânia e conheceu Marcos Araújo, todo-poderoso da Audiomix, maior escritório dedicado à música sertaneja no País. Produtor com experiência em emplacar duplas de sucesso, Marcos resolveu apostar no talento do rapaz franzino que cantava alto demais, quase gritando. Por 60 dias, colocou-o num “laboratório”, como lembra o maestro Pinocchio, para criar um estilo visual e musical.

As transformações foram drásticas. Gusttavo passou dias no salão de beleza de Maiky Correa, cabeleireiro de sertanejos como Matheus & Kauan e Rodolffo. Diante do espelho, reclamou que tinha rosto de “menino novo” e decidiu cultivar a barba.

O refrão da música “Balada” (aquele do “tchê, tchererê, tchê-tchê”) caiu na boca do povo em 2011: foi a canção mais ouvida naquele ano. Especialistas creem que ele tenha criado uma tendência ao unir forró e eletrônico.

“Casa Branca”

Inspirada na Casa Branca, a residência em estilo neoclássico com colunas que se tornaram sua logomarca tem estrutura de clube: na propriedade com 15 mil m², há um grande lago para pesca, quadras de esporte, academia de ginástica, piscina, spa, estúdio fotográfico, carrinhos de golfe para deslocamentos. A garagem abriga a uma coleção de carrões que inclui Lamborghini, Ferrari, Porsche, Mercedes Benz, Cadillac e Lincoln.

Iate de rei

Longe dali, em Angra dos Reis, no litoral do Rio, está ancorado o iate Embaixador. Gusttavo viu a embarcação pela primeira vez, em 2020, durante um passeio no Espírito Santo. Animou-se quando soube que se tratava de Lady Laura IV, do cantor Roberto Carlos. Os dois se telefonaram e fecharam a venda por R$ 25 milhões.

O patrimônio constantemente exposto pelo mineiro é resultado também de investimentos em empresas do ramo alimentício e de telemedicina.

Foto: Reprodução

Voltar

Compartilhe esta notícia:

Descubra sucesso sertanejos que foram recusados por cantores e acabaram fazendo muito sucesso nas vozes de outros
Em meio a polêmicas, Simone viaja para os Estados Unidos
Deixe seu comentário

No Ar: Melhor da 104